15 de maio de 2010

Sinto-me presa, queria correr, saltar, mas há algo que nao deixa. Algo que me prende a ti não sei bem porquê. Um dia “esse algo” vai perder toda a força e eu voltarei a ser livre. Sorrirei ainda mais do que aquilo que sorrio, gritarei para todo o mundo ouvir que o “algo” se foi embora, e eu vou poder voar novamente, bem alto assim como voa antes.

- Peço-te apenas um coisa: ama-me seja de que forma for, quando eu menos merecer, porque sera nessa altura que eu mais necessitarei. E lembra-te, nunca te deixei só,

“Nada nos torna tão grandes como uma grande dor.”




Sem comentários: